Opinião de Adelino Cunha

“Alguns autores escrevem como se escrevessem só para nós, mas quantos têm Eça de Queirós como narrador de cabeceira? É nessa atmosfera queiroziana da Lisboa do século XIX que o leitor mergulha com estas páginas de mistério, oculto e fantástico. São páginas que Luís Corte Real parece ter escrito para cada um de nós. TalvezContinue a ler “Opinião de Adelino Cunha”