Opinião do blogue Deus Me Livro

Muitos livros têm detectives atormentados por demónios interiores como protagonistas, mas “O Deus das Moscas Tem Fome” distingue-se ao apresentar um herói, Benjamim Tormenta, cujo demónio não é uma figura de estilo. É uma entidade milenar com muitos nomes, mais frequentemente chamada Lamashtu, aprisionada na carne do seu hospedeiro por extensas tatuagens de “símbolos místicos,Continue a ler “Opinião do blogue Deus Me Livro”

Opinião de Fiacha

Confesso que a minha curiosidade por ler este livro muito se deveu a ser escrito pelo  Editor da Coleção BANG!, pois foi graças à sua coragem que se publicou entre nós escritores como Scott Lynch, George Martin, Robin Hobb, Dan Simmons, Frank Herbert, entre muitos outros, que me fizeram ter intermináveis horas de leitura, conhecendoContinue a ler “Opinião de Fiacha”

Opinião de Luís Filipe Silva

“Estamos perante um fenómeno único na História, não só da literatura fantástica nacional como da própria literatura portuguesa: temos finalmente o nosso detetive do oculto! Um personagem contemporâneo das invenções de Le Fanu, Blackwood, e do próprio Conan Doyle, na sua vertente mística. Habitante de finais do século XIX, numa época em que o mundoContinue a ler “Opinião de Luís Filipe Silva”

Opinião de Adelino Cunha

“Alguns autores escrevem como se escrevessem só para nós, mas quantos têm Eça de Queirós como narrador de cabeceira? É nessa atmosfera queiroziana da Lisboa do século XIX que o leitor mergulha com estas páginas de mistério, oculto e fantástico. São páginas que Luís Corte Real parece ter escrito para cada um de nós. TalvezContinue a ler “Opinião de Adelino Cunha”