Estive a ler: “O Deus das Moscas tem Fome”

“No entanto, quando nos acostumamos a ela, a riqueza dos detalhes é determinante para a compreensão do espírito – e intenção – do livro.“ O Deus das Moscas Tem Fome alia dois mundos que me chamam bastante a atenção: de um lado o imaginário obscuro de demónios e criaturas do além, do outro a sociedade portuguesaContinue a ler “Estive a ler: “O Deus das Moscas tem Fome””

O DEUS DAS MOSCAS TEM FOME “Ler y Criticar”

Depois de tudo isto, digo-vos que se gostam do género, este é um livro a ter debaixo de olho. Da minha parte, terei debaixo de olho o próximo livro, que claramente terá de acontecer e que espero que traga a mesma fórmula ganhadora com os trunfos que mencionei. Quem diria que Lisboa do século XIXContinue a ler “O DEUS DAS MOSCAS TEM FOME “Ler y Criticar””

wookacontece – ENTREVISTA A LUÍS CORTE REAL

Luís Corte Real fundou a editora Saída de Emergência em 2003 e vive rodeado de livros desde a infância, mas só agora se decidiu a escrever um. Responsável pelas edições portuguesas de Guerra dos Tronos e por muitas outras obras icónicas de fantasia (e não só, também publica no nosso país Nora Roberts, por exemplo), é um apaixonado por livros,Continue a ler “wookacontece – ENTREVISTA A LUÍS CORTE REAL”

M80 Magazine” O Deus das Moscas Tem Fome” de Luís Corte Real editor: Saída de Emergência

Livro: “O Deus das Moscas Tem Fome” Chama-se “O Deus das Moscas Tem Fome” e leva-nos até um mundo de mistério e fantasia e a Ana Bernardino conta-lhe tudo, sem fazer spoilers. Para ouvir na íntegra clica na imagem:

Opinião do blogue Deus Me Livro

Muitos livros têm detectives atormentados por demónios interiores como protagonistas, mas “O Deus das Moscas Tem Fome” distingue-se ao apresentar um herói, Benjamim Tormenta, cujo demónio não é uma figura de estilo. É uma entidade milenar com muitos nomes, mais frequentemente chamada Lamashtu, aprisionada na carne do seu hospedeiro por extensas tatuagens de “símbolos místicos,Continue a ler “Opinião do blogue Deus Me Livro”

Opinião de Fiacha

Confesso que a minha curiosidade por ler este livro muito se deveu a ser escrito pelo  Editor da Coleção BANG!, pois foi graças à sua coragem que se publicou entre nós escritores como Scott Lynch, George Martin, Robin Hobb, Dan Simmons, Frank Herbert, entre muitos outros, que me fizeram ter intermináveis horas de leitura, conhecendoContinue a ler “Opinião de Fiacha”